03/10/2019

Rede pública de saúde de Dourados terá mais enfermeiros após ação do Coren-MS

Reforço de 20 profissionais vai atender no Hospital da Vida e em UPA

Equipe do Conselho reuniu-se com representantes da Fundação de Saúde de Dourados e promotor do MPMS – Foto: Coren-MS

O Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul (Coren-MS) conseguiu nesta terça-feira (2) mais uma deliberação favorável à Enfermagem do Estado. Durante reunião com a Fundação de Saúde de Dourados, mediada pelo Ministério Público Estadual (MPMS), foi confirmado o reforço de 20 enfermeiros para atuarem no Hospital da Vida e em uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA).

O acréscimo de profissionais vem após o Coren-MS notificar a prefeitura, entrar com uma ação civil pública contra o hospital e aprovar em plenário a interdição ética da unidade. O déficit de enfermeiros foi constatado por meio de denúncias e ação de fiscalização do Conselho.

Dos 20 profissionais, cinco já são enfermeiros do Hospital da Vida. Eles estavam em desvio de função e, agora, voltarão às suas funções originais. Os outros cinco foram convocados na segunda-feira (1), após participarem de processo seletivo. A distribuição destes últimos será feita da seguinte forma: quatro vão atuar no Hospital da Vida e um será designado pela Secretaria de Saúde de Dourados para uma UPA. Outros 10 profissionais serão contratados em até 20 dias úteis.

Representaram o Coren-MS na reunião de mediação o seu presidente, Dr. Sebastião Junior Henrique Duarte; as enfermeiras fiscais Alessandra Aguiar Nunes e Andrieli Aguiar; e o assessor jurídico Douglas da Costa Cardoso.

Faltam mais enfermeiros – O presidente do Conselho Regional de Enfermagem ressalva que, mesmo com o reforço de 20 enfermeiros, ainda faltarão 22 para completar o quadro legalmente adequado para o Hospital da Vida.

“A gente sabe do nosso dever de fazer cumprir o dimensionamento profissional nas unidades de saúde, por isso, continuaremos cobrando e agindo. Ainda assim, reconhecemos que ter conseguido mais 20 enfermeiros já representa melhor qualidade de atendimento em saúde para a população e também de vida para as famílias desses novos profissionais contratados”, disse.

A contratação ou convocação dos demais já é solicitada na ação civil pública que o Coren-MS move contra a Fundação de Saúde de Dourados.

Risco de interdição ética – Definida como “a suspensão do exercício profissional quando as condições em que a assistência de enfermagem é prestada colocam em risco a vida dos usuários e/ou da equipe de enfermagem, quando no local de trabalho não existirem condições mínimas para a prática segura das ações de enfermagem”, a interdição ética foi aprovada pelo Coren-MS em razão de a prefeitura não ter tomado providências para atender à demanda da população local pela assistência de um número maior de enfermeiros. A reunião de mediação ocorreu para evitar que ela entrasse em vigor.





  • BannerLateral/e-dimensionamento
  • BannerLateralAnjosEnfermagem
  • banner_anaiss1-e1349203955613
  • BannerLateralMunean