22/09/2022

“O problema é muito maior”, aponta o presidente do Coren-MS sobre a situação da Santa Casa e demais hospitais no impasse no custeio de despesas e Piso Salarial da Enfermagem

O presidente do Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul (Coren-MS), Dr. Sebastião Duarte, cobrou maior transparência na

O presidente do Coren-MS, Dr. Sebastião Duarte, conversou com o secretário estadual de Saúde, Flávio Britto.

O presidente do Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul (Coren-MS), Dr. Sebastião Duarte, cobrou maior transparência na questão de onde está sendo feita a aplicação do repasse pelas instituições de saúde. “Senti falta de detalhes desses gastos”, disse. A cobrança é em relação à defasagem nas contas da Santa Casa de Campo Grande, apresentada na Audiência Pública, realizada pela Câmara dos Vereadores, na quarta-feira (21/09). O déficit é de R$ 12,9 milhões mensais.

O repasse gera impasse no custeio das despesas dos atendimentos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e no pagamento do Piso Salarial da Enfermagem. “Eu vejo com muita preocupação o foco ser na Santa Casa. Mas o Hospital Regional também tem problemas. Temos problemas na Maternidade Cândido Mariano, ou seja, o problema é muito maior”, completou.
“Esses dados são importantes, até para quem está presente poder entender, porque colocar uma planilha e que foi feito todo esse repasse, mas a onde está sendo investido? Com certeza, a Santa Casa é muito importante não só para Campo Grande e Mato Grosso do Sul, mas por atender também pessoas fora do Estado”, afirmou Dr. Sebastião.
Piso Salarial

No dia da mobilização nacional a favor do Piso Salarial, profissionais compareceram na Câmara Municipal.

O presidente do Coren-MS, Dr. Sebastião Duarte, defende que a lei do Piso Salarial da Enfermagem é constitucional e tem que ser pago por todos os estabelecimentos de saúde privados e filantrópicos aos profissionais, pois enfrentam dificuldades financeiras. Na quarta-feira (21/09) ocorreu uma manifestação nacional pelo país contra a suspensão da lei pelo Supremo Tribunal Federal (STF). “Nós precisamos levar em consideração, estou aqui representando 30 mil profissionais de enfermagem, hoje é um dia de mobilização nacional em torno do tão desejado Piso Salarial. São pessoas que estão recebendo poucos demais para as necessidades da vida”. diz

“São pessoas que estão tendo a necessidade de ter dois a três empregos. Isso nos preocupa muito e nesta questão financeira quem sofre com isso é a população. São pessoas que dependem de cirurgia, de exames e de assistência. Mas para que a assistência ocorra nós temos os trabalhadores que também precisam ser valorizados”, defende.

“O estudo de impacto não é tão grande e chegue ao Piso Salarial. Nós não estamos querendo aumentar a conta. Mas precisamos defender os profissionais que estão levando saúde 24h ao dia para a população”, esclareceu.