12/09/2019

Nota do Coren-MS sobre atentado a enfermeiro em Campo Grande

Ubirajara Viana Ferreira, 35 anos, foi ferido por paciente com transtorno mental

O Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul (Coren-MS) manifesta sua solidariedade e apoio ao enfermeiro Ubirajara Viana Ferreira, 35 anos, ferido em seu local de trabalho por um paciente com transtorno mental que portava uma arma branca. O episódio ocorreu na tarde desta quarta-feira (11), em Campo Grande (MS).

O presidente do Coren-MS, Dr. Sebastião Junior Henrique Duarte, esteve no Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS) Aero Rancho III, onde Ubirajara trabalha, e conversou com os profissionais presentes para apurar os fatos, ouvir sobre as necessidades da equipe de Enfermagem e orientar a respeito de situações como a que ocorreu. O chefe do setor de fiscalização do Coren-MS, Dr. Alex Souza de Oliveira, acompanhou a visita.

Em seguida, os representantes do Conselho foram até a Santa Casa de Campo Grande, onde Ubirajara Viana Ferreira está internado, para obter informações sobre seu estado de saúde e ouvi-lo sobre o caso. O presidente do Coren-MS colocou-se pessoalmente à disposição do enfermeiro, bem como os serviços do Conselho.

No que diz respeito à sua alçada de atuação, o Coren-MS esclarece que possui relatórios de fiscalização de 100% das unidades de saúde vinculadas à Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande (Sesau), o que inclui os CAPS. O problema constado com mais frequência e registrado nos documentos é o número insuficiente de profissionais de Enfermagem para atender à demanda de pacientes das unidades. O presidente do Coren-MS tem reunido-se com o prefeito Marcos Trad e Secretário de Saúde do Município para pedir contratação de mais recursos humanos para a Enfermagem de Campo Grande e promover melhorias nas condições de trabalho. Embora um concurso público com essa finalidade esteja em andamento, o Coren-MS entende que o número de vagas disponibilizadas não atende a necessidade dos serviços de saúde e da população. O Conselho espera que um número de profissionais maior do que o anunciado no processo seletivo seja efetivado.

Para o presidente do Coren-MS, o caso de Ubirajara trata-se de uma fatalidade, considerando que o agressor é uma pessoa que se encontra em estado mental patológico. O Dr. Sebastião ressalta, no entanto, que o episódio revela a ausência de condições de trabalho mínimas para a Enfermagem tanto nos CAPS quanto em outras unidades de saúde.

Somada aos baixos salários e à rotina exaustiva de serviço, muitos profissionais da Enfermagem não dispõem de recursos em seus locais de trabalho que tornem o exercício da função mais seguro, tanto para o paciente, quanto para quem está prestando assistência. Tomando o caso do enfermeiro ferido como exemplo, tem-se que a presença de agentes de segurança no local poderia ter intimidado o autor do ataque. O policiamento nos CAPS é uma reivindicação do Coren-MS.

O profissional se encontra em estado de saúde estável. O Conselho lamenta que Ubirajara, profissional de boa índole e de trabalho socialmente reconhecido, inclusive por menção honrosa concedida pela Câmara dos Vereadores de Campo Grande, tenha sofrido o incidente.

Por fim, o Coren-MS posiciona-se em defesa da classe de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, que somam mais de 20.000 profissionais em todo o Estado. O Conselho pede mais respeito, valorização e comprometimento da classe política e de toda a sociedade com esses trabalhadores, que são o braço forte da saúde no Brasil.

Representantes do Coren-MS estiveram CAPS Aero Rancho na manhã desta quinta-feira (12)

O Coren-MS falou à imprensa sobre o caso





  • BannerLateral/e-dimensionamento
  • BannerLateralAnjosEnfermagem
  • banner_anaiss1-e1349203955613
  • BannerLateralMunean