27/03/2018

Na SAD, Coren-MS discute o déficit de profissionais de enfermagem no HRMS

Além do déficit de enfermeiros, o Coren-MS cobrou também a jornada de 30 horas semanais

Na luta contínua pelo bem estar do profissional da enfermagem do Estado, o presidente do Coren-MS (Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul), Sebastião Junior Henrique Duarte, se reuniu com o secretário da SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização), Carlos Alberto de Assis. O encontro, que teve a participação da vice-governadora, Rose Modesto, aconteceu na tarde desta segunda-feira (26) na sede da secretaria – Parque dos Poderes, onde o principal assunto foi a necessidade de melhorar o dimensionamento de profissionais de enfermagem no HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), além da cobrança pelo direito de os enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem terem a jornada de trabalho reduzida para 30 horas semanais.

Conforme Sebastião Júnior, o quadro defasado de profissionais da enfermagem no HRMS compromete a saúde dos servidores. “Com o quadro reduzido aumenta o absenteísmo, dessa forma o trabalhador fica sobrecarregado e tem sua saúde prejudicada. Há também a questão das 30 horas, sem a carga horária correta o mesmo não consegue tempo para resolver algo da vida pessoal, assim ele não terá uma boa qualidade de vida, pois são profissionais que diuturnamente lidam com pessoas em sofrimento até mesmo a morte e isso afeta a saúde do trabalhador, com a redução da carga horária será possível ter tempo para lazer, esporte, atividades culturais, sociais e o mais importante, melhorar o convívio com a própria família”, ressaltou.

Ainda, de acordo com o presidente do Coren-MS, essa demanda já é antiga, e a nova gestão, que assumiu em janeiro deste ano, tenta, junto ao governo, resolver em definitivo a problemática. O secretário da SAD, Carlos Alberto, respondeu deforma incisiva que não quer que os servidores do Estado fiquem doentes.

“Não quero que as pessoas adoeçam, inclusive estamos adotando uma ação preventiva e assim reduzirmos os casos de profissionais doentes”, afirmou.

Impacto financeiro

Assis reconhece a necessidade em convocar os aprovados em concurso público no ano de 2014, para preencher as vagas de enfermeiros no Hospital Regional, porém ele levantou a questão do impacto financeiro que isso pode provocar ao governo. “Eu preciso fazer um levantamento deste impacto e apresentar ao governador [Reinaldo Azambuja], dessa forma podemos fazer um planejamento para que se possa efetivar”, prometeu.

O secretário solicitou ao Conselho Regional de Enfermagem do Estado que se faça um relatório para mostrar qual é o número real do déficit e apresentar à SAD, para então o governo tomar providências em relação a novos concursos. O Presidente do Coren-MS assegurou que enviará o documento solicitado, após reunir-se com os fiscais do Conselho e levantar todas as ilegalidades detectadas no HRMS.

Rose Modesto elogiou o trabalho do presidente do conselho, Sebastião Júnior, ela disse que é importante o diálogo entre o governo e o Coren-MS. “A nova gestão tenta sempre resolver os problemas no diálogo, mas sabemos que o órgão tem que fiscalizar e deve sim cobrar do governo”, parabenizou.

O representante dos profissionais de enfermagem de Mato Grosso do Sul, ressaltou que são mais de 60 enfermeiros para serem convocados do último concurso. A convocação desses candidatos ajudaria na redução do déficit no HRMS. Também foi solicitado pelo Presidente do Coren-MS a abertura de concurso público para enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem para atender as necessidades de recursos humanos do quadro funcional do estado.

Reunião

Na reunião estavam presentes também a procuradora jurídica do Coren-MS, Dra. Idelmara Macedo, e os representantes da SAD, a técnica de planejamento, Léa Maria de Souza Ribeiro e o secretário adjunto, Édio de Souza Viegas.

Encontro na SAD

 





  • BannerLateralMunean
  • vagas enfermagem
  • BannerLateralAnjosEnfermagem