04/06/2019

Maio: mês em que a Enfermagem sul-mato-grossense falou de si

Estudantes e profissionais de oito municípios se reuniram nos encontros da 8ª Semana da Enfermagem do Coren-MS

Trabalho e saúde mental, SUS, ética e liderança foram os principais assuntos discutidos no mês de maio por profissionais da Enfermagem de oito municípios de Mato Grosso do Sul, durante encontros promovidos pela 8ª Semana de Enfermagem do Conselho Regional de Enfermagem (Coren-MS). O evento conseguiu aproximar pessoas que dedicam a vida ao cuidado do outro e enfrentam os mesmos desafios em diferentes unidades de saúde do Estado.

“Obrigada por olhar por nós”. Emocionada com a participação expressiva dos profissionais de Naviraí e a motivação que resultou disso, a enfermeira do Hospital Regional, Drª. Michella Franciscati agradeceu ao Coren-MS por levar reflexões e conhecimento para o interior do Estado.  “Nós precisávamos. Nossos profissionais são carentes de valorização e a Semana da Enfermagem mexeu com toda a nossa equipe. Apesar de todos os problemas, nos sentimos mais unidos agora”, ela relatou.

Estudantes e profissionais de Corumbá falaram de saúde pública na fronteira; saúde mental na Enfermagem; ética; e liderança – Foto: Ascom/Coren-MS

A coordenadora do curso de Enfermagem da Faculdade Santa Teresa, de Corumbá, Drª. Gilsane Bereta, disse que o conhecimento e experiências compartilhados serviram para fortalecer cada estudante e profissional que participou do evento. “Aprendemos com os palestrantes e descobrimos que não estamos sozinhos. A Semana da Enfermagem foi uma passagem que nos deu ainda mais força para seguir nossa missão”.

Além de Naviraí e Corumbá, a 8ª Semana da Enfermagem do Coren-MS também passou por Campo Grande, Coxim, Dourados, Nova Andradina, Ponta Porã e Três Lagoas. Em todas as cidades foram realizadas palestras e oficinas gratuitas durante um, dois ou três dias. Mais de mil pessoas – entre trabalhadores da área, acadêmicos e estudantes de cursos técnicos – participaram delas entre os dias 8 e 18 de maio. Estiveram presentes no evento o presidente da autarquia, Dr. Sebastião Junior Henrique Duarte, e os conselheiros Dr. Rodrigo Alexandre Teixeira, Sr. Cleberson dos Santos Paião, Srª. Carolina Lopes de Morais, Srª. Gismaire Aparecida da Costa Vacchiano, Drª. Lucyana Conceição Lemes Justino, Drª. Nívea Lorena Torres e Drª. Virna Liza Pereira Chaves Hildebrand.

Cuidar de quem cuida – A Enfermagem é a ciência e a função social do cuidar. Seus profissionais atuam diariamente com fatores humanos, lidando com a dor e a morte, e desenvolvem tarefas suscetíveis a falhas. Por todas essas características, é um trabalho que às vezes não deixa espaço para que o sujeito cuide de si.

Diante desse quadro, as doenças mentais ocasionadas por esgotamento no trabalho têm afetado cada vez mais os profissionais da saúde e, em alguns casos, provocado o suicídio. Sobre isso alertou o psicólogo educacional e mestre em Psicologia, Renisson Costa Araújo, em oficinas que ministrou em Corumbá, Naviraí, Nova Andradina e Ponta Porã.

Público de Naviraí interagiu com o psicólogo Renisson Araújo – Foto: Ascom/Coren-MS

Sua dissertação mestrado sobre “Saúde mental do profissional de saúde” deu embasamento para que falasse com os profissionais da Enfermagem sobre os problemas que podem levar ao adoecimento. Ele recomendou que todos fiquem unidos e atentos aos sinais que os colegas dão de que algo não vai bem. “Não existe uma fórmula a seguir para não adoecer. O que vocês precisam saber, é que não podem negligenciar a própria saúde e precisam cuidar uns dos outros também. A pior coisa que pode acontecer é trabalharem num ambiente de desunião, porque isso pode somar a problemas já existentes no campo pessoal e levar ao adoecimento”, disse o psicólogo.

Atenta ao que ouviu, a técnica de enfermagem do Hospital Regional de Ponta Porã, Ester Peixoto Mota, fez uma autoanálise após participar da oficina. “É importante falarmos sobre nossas fraquezas. Teve assuntos que ele falou que eu já vivenciei. O Renisson mostrou ao profissional da saúde que ele pode, sim, falar de sua fraqueza. Não podemos deixar o cansaço e a desmotivação tornarem-se doenças”.

Também um tópico a se tratar quando se fala em saúde mental, a dependência química foi o tema abordado nas palestras realizadas pelo Dr. Richardson Miranda Machado em Ponta Porã e em Três Lagoas. Professor do curso de Enfermagem e pesquisador na Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), ele fez um necessário alerta sobre os efeitos do abuso do álcool e das drogas pelos profissionais da saúde.

Na posição ideal para liderar – O presidente do Coren-MS, Dr. Sebastião Junior Henrique Duarte, falou aos profissionais de sete municípios sobre um dos temas mundialmente debatidos por meio da campanha Nursing Now (Enfermagem Agora): a liderança profissional.

A Enfermagem é “a linha de frente da saúde”, disse, destacando que a categoria é a que mais executa procedimentos de saúde e lida mais diretamente com a população. O que falta é a conscientização a respeito desse papel de liderança e o empoderamento do profissional, que virá por consequência. “A equipe de enfermagem está na posição ideal de liderar o acesso à saúde. Precisamos de profissionais empoderados, políticas fortes e também da reformulação das diretrizes de formação”, defendeu.

O presidente do Coren-MS também tirou dúvidas dos participantes sobre atribuições da autarquia – Foto: Ascom/Coren-MS

A saúde pública no Brasil, a ética profissional e a gestão do Coren-MS também foram assuntos debatidos pelo presidente da autarquia. A enfermeira obstetra e professora do curso de Enfermagem da Faculdade Santa Tereza, Drª Iluska Lopes, considerou esclarecedora a forma com que os temas foram discutidos. “Muito rica a palestra. O presidente do Coren-MS trouxe para nós a prática, a realidade mesmo. O que mais me chamou atenção foram as discussões sobre o Código de Ética e sua aplicabilidade”, avaliou.

A enfermeira Drª. Juliana Guisardi, de São Paulo (SP), contribuiu com as discussões sobre liderança da 8ª Semana de Enfermagem falando sobre “A autonomia do enfermeiro”. Usando como referência uma pesquisa acadêmica que desenvolveu e depoimentos de profissionais que acompanhou, ela falou sobre o assunto na universidade Unigran, em Campo Grande. Ainda na Capital, ela também participou da mesa redonda “Enfermagem em defesa do SUS”, na Universidade Católica Dom Bosco (UCDB).

Sobre a prática profissional – A 8ª Semana de Enfermagem também revisou temas que têm relação direta com a prática profissional: o Registro de Enfermagem e o Processo de Enfermagem.

A conselheira e enfermeira do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, Drª Nívea Lorena Torres, levou a Naviraí e Nova Andradina oficinas sobre Registro de Enfermagem. Ressaltando que a Enfermagem é uma profissão muito normatizada, ela recomendou aos profissionais que busquem seguir protocolos e registrem todos os atendimentos que realizarem. Os participantes aproveitaram a oportunidade para sanarem dúvidas que surgem no dia a dia de trabalho.

A Drª. Nívea explicou como o Registro de Enfermagem pode conferir mais segurança ao profissional e ao paciente – Foto: Ascom/Coren-MS

A enfermeira e coordenadora da Câmara Técnica de Educação, Ensino e Pesquisa do Coren-MS, Drª Vânia Stolte, deu uma oficina em Dourados sobre Processo de Enfermagem, que é parte importante da Sistematização da Assistência da Enfermagem (Sae) e deve obrigatoriamente ser implantada e executada nos serviços de saúde conforme a Resolução nº 358/2009, do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen).

“Levei ao público essa questão da Sae, que é todo o atendimento sistematizado da Enfermagem para o paciente, e ressaltei uma etapa importante dele que é o Processo de Enfermagem. Esse instrumento é essencial para a valorização da profissão e precisa acontecer para que a Enfermagem mostre que é uma profissão organizada e que tem conhecimento científico. Por meio dele, conseguimos mostrar nosso valor para a sociedade, para os serviços de saúde e diante da equipe interprofissional”, pontuou.

Conferência de abertura com prefeita e premiação de trabalhos na Capital – Em Campo Grande, o evento contou com uma conferência de abertura realizada pela prefeita de Cristal (RS) e enfermeira, Drª. Fábia Richter. Os vereadores de Campo Grande, Drs. Cida Amaral e Hederson Fritz, que também já atuaram na área da Enfermagem, acompanharam e falaram ao público presente sobre como a luta profissional tem a ver com política.

Na programação da Capital, também foram feitas exposições de banners de trabalhos científicos e a premiação dos autores melhor avaliados por uma banca examinadora. Os primeiros colocados nas categorias “Saúde pública”, “Ensino” e “Hospitalar” ganharam, além de uma placa de menção honrosa, viagens para participar do 22º Congresso Brasileiro dos Conselhos Regionais de Enfermagem (CBCENF), que este ano ocorre em Foz do Iguaçu (PR), de 11 a 14 de novembro.

Alguns dos autores premiados – Foto: Ascom/Coren-MS

Balanço – Coordenadora da comissão organizadora da 8ª Semana de Enfermagem do Coren-MS, a Drª Lizandra Alvares Félix Barros avalia que o Conselho conseguiu devolver à comunidade da Enfermagem os investimentos que recebe enquanto órgão público. “Conseguimos levar atualização e formação a todos: estudantes, técnicos, auxiliares e enfermeiros. Esses são importantes papéis do Coren”. Ela acrescenta que a submissão e premiação de trabalhos científicos foi o maior diferencial desta edição do evento, e mostrou que as pesquisas produzidas pela Enfermagem estão atingindo ótimos patamares.

A Semana de Enfermagem é uma realização do Coren-MS e do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen).





  • BannerLateral/e-dimensionamento
  • BannerLateralAnjosEnfermagem
  • banner_anaiss1-e1349203955613
  • BannerLateralMunean
  • vagas enfermagem