06/12/2021

Estudo analisa condições de assistência de trabalhadores da saúde Indígena

Estudo reconhece a importância da autonomia, das tradições e a diversidade étnica e cultural dos povos originários do país

A Fiocruz investigará as transformações provocadas pela pandemia de Covid-19 nas condições de trabalho e saúde mental de um contingente de aproximadamente 20 mil trabalhadores que atuam na assistência à saúde indígena de todo território brasileiro.

Nesta quinta-feira (2/12), a instituição lança a pesquisa Os Trabalhadores da Saúde Indígena: Condições de Trabalho e Saúde Mental no Contexto da Covid-19 no Brasil, um questionário inédito que revelará o perfil sociodemográfico, a jornada de trabalho, as condições e o nível de proteção durante o exercício de sua atividade, além das alterações provocadas pela pandemia na vida pessoal e profissional desses trabalhadores que prestam assistência aos povos indígenas.

O atual estudo coordenado pela pesquisadora Maria Helena Machado, da Fiocruz, é um desdobramento da pesquisa “Condições de Trabalho dos profissionais de saúde no contexto da Covid-19 no Brasil, que analisou a realidade de vida e trabalho dos profissionais da equipe de saúde que atuam em todo o país na linha de frente da pandemia e revelou um cenário de exaustão, falta de proteção e diversos danos na saúde mental dos profissionais de saúde. As pesquisas, juntamente com outro estudo que também avaliou as “Condições de Trabalho dos Trabalhadores Invisíveis no combate à Pandemia, formam uma tríade que contempla todo o universo dos trabalhadores que atuam na pandemia.

Acesse a pesquisa na íntegra e leia a matéria completa no site da Agência Fiocruz de Notícias.


Fonte: Fiocruz