19/11/2021

Curso de punção intraóssea forma cerca de 100 enfermeiros com apoio do Coren-MS

Formação foi ministrada gratuitamente por profissional referência na área

Materiais utilizados para a punção intraóssea – Foto: Coren-MS

Para que enfermeiros e enfermeiras de Mato Grosso do Sul se atualizem de novas técnicas, o Coren-MS realizou nesta quarta e quinta-feira (17 e 18) uma formação gratuita em punção intraóssea. Ela foi direcionada a profissionais da urgência e emergência e ministrada por Rose Abelha, referência na área no Brasil.

Cerca de 100 profissionais da enfermagem foram habilitados para o procedimento nos dois dias. Eles atuam em instituições de saúde como as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), Hospitais e Samu; são professores na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Faculdade de Mato Grosso do Sul (Facsul), Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Unigran Capital e Dourados, e Anhanguera Uniderp; além de serem trabalhadores de concessionária que cuida da segurança das rodovias, a CCRVia.

A enfermeira Rose atua desde 2001 com punção intraóssea – Foto: Coren-MS

A punção intraóssea geralmente não é ensinada nos cursos de Enfermagem, segundo a ministrante. “Muita gente nunca ouviu falar do assunto e conhece por meio do curso. Essa parceria com o Coren dá oportunidade para que os profissionais se apropriem e utilizem essa tecnologia, quando ela estiver disponível em seus locais de trabalho”, afirmou.

A Resolução Cofen nº 648/2020 normatiza a punção intraóssea como privativa do enfermeiro e estabelece a necessidade de haver formação específica e protocolos para guiar a prática nas instituições.

Prática da punção era esperada entre os participantes – Foto: Coren-MS

O que é a punção intraóssea – Rose Abelha ensina que a punção intraóssea se trata de uma alternativa ao acesso da veia para a administração de soro ou medicamentos. “É opção quando o acesso venoso não é bem sucedido ou não é viável, tanto em pacientes adultos quando crianças”, explica.

O dispositivo para punção é agulhado e automático, e precisa ser disparado por profissional habilitado. Na parte prática do curso, a ministrante mostrou aos participantes pontos no corpo humano que são os principais “alvos” para esse disparo.

Depoimentos dos participantes – O enfermeiro do Samu do município de Coxim, Pedro Natercio, participou por querer dominar novas técnicas e prezar pela segurança de seus pacientes. “A assistência de enfermagem com embasamento científico aliada à tecnologia proporciona um cuidado livre de imperícia e imprudência. A capacitação foi muito relevante para nós nesse sentido”, relatou. Também do Samu, mas do município de Aquidauana, Lucyelma Resende agradeceu ao Conselho a oportunidade de revisar técnicas utilizadas no atendimento pré-hospitalar, e conhecer os benefícios da punção intraóssea.

Enfermeira do HU/UFGD, Franciele dos Santos pode testar o dispositivo – Foto: Arquivo pessoal

Franciele dos Santos trabalha no Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), e fez por interesse nas tecnologias da saúde. “As atualizações profissionais são necessárias para proporcionar assistência de qualidade na nossa região. O curso foi excelente e nos motivou a buscar novas tecnologias”, afirmou.

Joselito de Araújo atua como professor no curso de Enfermagem da Unigran Dourados e também como enfermeiro na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do HU/UFGD. Ele também comenta sobre o que aprendeu. “Associamos parte teórica e prática, foi muito dinâmico e teve participação muito expressiva. Para mim, proporciona tanto no hospital onde trabalho quanto na universidade, um conhecimento mais aprofundado sobre a conduta e assistência especializada do enfermeiro. Foi de grande valia, nos impulsionou a ter autonomia na profissão e nos empoderarmos daquilo que é assistência em Enfermagem de qualidade”.

O presidente do Coren-MS, Dr. Sebastião Duarte, afirma que outras iniciativas estão previstas para habilitar e qualificar profissionais da enfermagem em todo o estado.