08/10/2018

Consultório de enfermagem é destaque no atendimento às mulheres com câncer

"O número de cancelamentos nos procedimentos por insegurança no tratamento do câncer de mama reduziu”, afirma coordenadora de enfermagem

Arquivo pessoal: Dra. Erica

Superar um câncer não é uma tarefa muito fácil, mulheres diagnosticadas com a doença ficam afetadas psicologicamente e muitas desistem dos tratamentos por medo dos efeitos colaterais. Mas o consultório de enfermagem do HCAA (Hospital de Câncer de Campo Grande – Alfredo Abrão) apoia as pacientes e desmistifica os medos dando mais qualidade no atendimento.  De acordo com o hospital, 60% das quimioterapias são para mulheres que estão tratando tumores na mama.

Conforme a coordenadora de enfermagem do HCAA, Dra. Erica Prevital Nery, a equipe inicia os atendimentos logo após a doença ser confirmada pelos médicos. Esse modelo de atendimento iniciou em março deste ano. “O novo método de tratamento fez toda a diferença, principalmente em relação a cirurgia, o número de cancelamentos nos procedimentos por insegurança reduziu”, afirmou.

Dra. Erica revelou que os índices de pronto atendimento para eventos esperados para todos os tipo de tratamento diminuíram em 13 %, considerando o mês de março até agora, comparado com o ano de 2017.

O trabalho da enfermagem

imagem: assessoria

O trabalho de prevenção é feito junto a Rede Feminina e o “Outubro Rosa” é um mês de conscientização. Na programação do mês é feito rodas de conversas para falar sobre a doença e como prevenir. Estão prevista para este mês em torno de 40 palestras que acontecem dentro do hospital ou em empresas que solicitaram o programa.

Conforme a Dra. Erica, o trabalho das equipes do HCAA não se restringe somete no mês de outubro. “Corriqueiramente o hospital realiza consultas de enfermagem na parte de nível ambulatorial. Após a coleta de preventivo a mulher passa por uma orientação de como se cuidar ou detectar o câncer de mama”, lembrou.

“Então a mulher é encaminhada ao nosso consultório e de forma minuciosa tudo é explicado sobre o tratamento como, por exemplo, os níveis de cirurgia, os drenos a ser usados, tipos de corte que podem ser realizados e sobre plástica mamária. Tudo para que as pacientes  não tenham medo durante os tratamentos”, acrescentou.

Prevenção

A coordenadora de enfermagem do HCCA ressaltou que o mais indicado é a prevenção primária, que é o estilo de vida, um tema muito abordado, não somente sobre o câncer de mama, mas na oncologia em geral. No consultório a equipe de enfermagem questiona as pessoas sobre como elas se alimentam, o quanto elas têm dormido, qual é a quantidade de bebida alcoólica ingerida, ou seja, o estilo de vida que cada um tem. Pois são nesses quesitos que se pode prevenir o câncer.

“Também não se pode esquecer-se do tabagismo e os estresses do dia a dia que contribuem com o desenvolvimento da doença”, lembrou Erica.

Humanização na Enfermagem

Arquivo pessoal: Dra. Erica

Conforme Erica, quando uma paciente é diagnosticada com câncer, ela entra na fase de negação. “A paciente pensa primeiro na morte, mutilação e que vai ficar sem os cabelos. Na consulta da enfermagem conseguimos controlar esses tipos de sentimentos”, afirmou.

“Na quimioterapia, por exemplo, a gente fala à paciente sobre uma touca térmica que evita a queda de cabelo. O que tem surgido efeito  na parte emocional”, acrescentou.

Erica Nery é Doutora em Ciências Biomédica com a linha de pesquisa em enfermagem paliativista.

 

Dados

Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer José Alencar  Gomes da Silva), o câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil (depois do de pele não melanoma) respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano.

O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença. Estimativa 2018/2019 aponta 59.700 casos novos de câncer de mama no Brasil, sendo 830 no Mato Grosso do Sul. Quando detectados no início há grandes chances de cura

Dra. Erica durante atendimento

No HCAA os procedimentos, por mês, no segmento mama do hospital atinge uma média de 800 procedimentos (consultas, radioterapias, quimioterapias).  No ano esse número chega a A 9600.

Hospital de Câncer de Campo Grande – Alfredo Abrão 60% das quimioterapias são para mulheres em tratamentos com tumores de cânceres de mama. A faixa etária para realização de de mamografias  é de 40 aos 69 anos, preconizada pela Sociedade Brasileira de Mastologia para realização de mamografias.

Como o hospital trabalha para reduzir os casos?

O HCAA trabalha com realização de campanhas como “Outubro Rosa”, pela conscientização e prevenção ao câncer de mama. Também são realizadas palestras nas empresas/instituições e disseminamos informações através de nossas mídias sociais.

Aderindo ao “Outubro Rosa”, mês de conscientização e prevenção ao câncer de mama, o HCAA realizará até o dia 31/10, uma campanha especial de mamografias gratuitas. Mulheres entre 40 e 69 anos podem vir diretamente ao hospital, entre 7h e 16h, e realizar o exame gratuitamente. Não é necessário agendamento. São ofertados 70 exames por dia (caso exceder o número diário, quem vier ao hospital será agendada). Participe! Ame a sua vida! Previna-se. (Com assessoria)

Serviço

Mamografias gratuitas – “Outubro Rosa”

Local: Rua Marechal Rondon, 1053. Setor de Imagens, novo prédio Unidade Nelson Buainain.

Horário: 7h às 16h

*não é necessário agendar

Documentos: Identidade e cartão SUS (*se tiver)

Informações: 3041-6000

Equipe de enfermagem (Foto: assessoria)

 

 

 

 

 





  • BannerLateral/e-dimensionamento
  • BannerLateralAnjosEnfermagem
  • banner_anaiss1-e1349203955613
  • BannerLateralMunean
  • vagas enfermagem