30/08/2011

Cinco morrem por semana em MS por doenças ligadas ao cigarro

No primeiro trimestre deste ano foram 107 óbitos por doenças associadas ao tabagismo, número 54% maior do que a média ...

No primeiro trimestre deste ano foram 107 óbitos por doenças associadas ao tabagismo, número 54% maior do que a média do mesmo período do ano passado.

Fumante passivo também é vítima de doenças associadas ao tabaco.
Hoje, dia Mundial de Combate ao Tabaco, novas estatísticas são alarmantes. Nada menos que 40 milhões de brasileiros estão no corredor do câncer e das doenças direta e indiretamente ligadas ao uso de tabaco. Em Mato Grosso do Sul, cinco pessoas morrem por semana em decorrência de câncer nos brônquios e pulmões, doenças agravadas ou até mesmo causadas pelo consumo de cigarro.

De acordo com o Programa de Prevenção Primária de Câncer/Tabagismo da Secretaria Estadual de Saúde, somente no ano passado 278 pessoas morreram por câncer causado pelo cigarro. No primeiro trimestre deste ano foram 107 óbitos por doenças associadas ao tabagismo, número 54% maior do que a média do mesmo período do ano passado.

Os números, entretanto, não motivam a redução do número de fumantes. Em todo o mundo, há por volta de 1.5 bilhões de fumantes. Portanto, cerca de 1/3 da população global de 15 anos para cima. Destes, 800 milhões estão em países em desenvolvimento. É impressionante, mas é verdade: estima-se que o tabagismo matará 500 milhões de pessoas da população atual nos próximos 10 anos; 250 milhões corresponderão às crianças de 13 e 14 anos e os adolescentes de hoje.

Pesquisa – De acordo com o IBGE, Mato Grosso do Sul é o terceiro Estado que mais fuma no Brasil. Segundo a pesquisa, que toma como referência o ano de 2008, 17,2% da população do Estado é composta por fumantes contumazes. A proporção de pessoas com 15 anos ou mais de idade que fuma diariamente no Estado está acima da média nacional, que é de 14,5%. A maior concentração de fumantes diários no Brasil fica no Rio Grande do Sul com 18,4%, seguido com Piauí com 17,5% de pessoas fumantes.

Se levado em conta o índice de pessoas usuárias de tabaco, mas não todos os dias, a percentagem é ainda maior no Estado, 18,5%. De todos os fumantes sul-mato-grossenses, uma minoria pretende deixar o cigarro, 48,8%; sendo que 64,1% disseram que pensaram em parar por conta do rótulo de advertência. O índice de ex-fumantes no Estado é de 19,5%.

A maior parte dos usuários de tabaco no Brasil, 33,4% fuma de 15 a 24 cigarros por dia, sendo que o primeiro é fumado de 6 a 30 minutos depois de acordar. Os principais pontos de aquisição do produto são bares, botequins ou restaurantes, 53,8% da preferência; já os supermercados, mercadinhos ou mercearias são os preferidos por 21,7% da população fumante.

Portal do Ministério Publico – MS